Coronavírus na China: Que medidas estão sendo tomadas pelas companhias de cruzeiros?

Atualizado em: 18 de fevereiro de 2020

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou no dia 11/02/2020 o novo nome do vírus que vem preocupando a população mundial desde dezembro passado: COVID-19. Pertencente a mesma família viral associada às epidemias anteriores de MERS-CoV, em 2012, e de SARS-CoV, em 2002, o coronavírus tem causado doenças respiratórias, é transmissível entre os humanos e foi inicialmente identificado em Wuhan, na China central.

Em resposta ao surto do vírus, muitas companhias aéreas suspenderam ou restringiram os seus voos para a China seguindo orientações dos governos, que desaconselham viagens para lá. As companhias de cruzeiros também estão tomando as devidas providências. Saiba mais!

ÚLTIMAS INFORMAÇÕES PARA PASSAGEIROS DE CRUZEIROS

A Associação Internacional de Navios de Cruzeiros (CLIA) publicou recentemente a seguinte declaração sobre o corinavírus:

“A segurança e a saúde dos passageiros são a prioridade número um dos membros da CLIA. A CLIA e suas associadas mantêm contato próximo com profissionais e agências reguladoras de saúde em todo o mundo, incluindo a Organização Mundial da Saúde (OMS), e estão continuamente avaliando e modificando políticas e procedimentos conforme necessidade. Isso inclui a modificação de itinerários, quando necessário, à luz das circunstâncias em evolução, bem como a triagem de saúde, viagens e contatos, quando apropriados, para hóspedes e tripulantes que viajaram recentemente dentro da área afetada, de acordo com as orientações vigentes das autoridades globais de saúde. Os protocolos de triagem permitem decisões informadas, caso a caso, se um hóspede ou membro da equipe será impedido de embarcar.

As associadas da CLIA suspenderam a movimentação de tripulantes da China continental e negarão o embarque a qualquer indivíduo, seja passageiro ou tripulante, que tenha viajado pela China continental nos 14 dias anteriores.

É importante ressaltar que a indústria de cruzeiros é uma das mais bem equipadas e experientes no gerenciamento e monitoramento das condições de saúde de passageiros e tripulantes. As companhias de cruzeiros tomam precauções para realizar a triagem passiva e ativa dos passageiros e da tripulação quanto a doenças antes do embarque, quando as circunstâncias exigirem. Além disso, os membros da CLIA implementam medidas de prevenção e resposta a surtos e seus navios devem estar equipados com instalações médicas, profissionais de bordo e profissionais da costa disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana, para fornecer atendimento médico inicial e impedir a transmissão de doenças.”

Note que, até o presente momento, não há recomendações da OMS restringindo viagens para o exterior, exceto viagens para a China continental, foco da doença. Desta forma, cruzeiros pelo Brasil, América do Sul, Caribe, transatlânticos e Europa possuem suas saídas confirmadas e não terão seus itinerários alterados.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO

A MSC Cruzeiros adotou medidas de prevenção para garantir a saúde e o bem-estar de todos os hóspedes e tripulantes. Dentre elas, estão testes obrigatórios de temperatura sem toque em todos os hóspedes e tripulantes antes do embarque e em todos os cruzeiros da companhia, bem como o aumento da higienização em todos os seus navios. Além disso, hóspedes de todas as nacionalidades devem preencher um questionário antes de embarcar para garantir que ninguém que tenha visitado a China continental, Hong Kong e Macau nos últimos 30 dias, entre no navio. Quem também apresentar os sintomas da doença ou estiver com 38°C ou mais de febre será igualmente impedido de embarcar no cruzeiro.

A Costa Cruzeiros também decidiu reforçar ainda mais as medidas de prevenção a bordo de seus navios, a fim de garantir a máxima segurança de todos a bordo. A partir de agora, nenhum hóspede, visitante ou tripulante que tiver viajado para ou da China continental, Hong Kong e Macau 14 dias antes do embarque ou que apresente algum sintoma da doença, independente da nacionalidade, poderá embarcar no navio.

Já a companhia Norwegian Cruise Line negará o embarque de todos os hóspedes e tripulantes com passaporte chinês ou que tiverem visitado a China continental, Hong Kong e Macau nos últimos 30 dias. A companhia continuará realizando relatórios e avaliações de saúde padrão antes do embarque, incluindo verificações de temperatura, quando necessário. Qualquer hóspede que apresentar sintomas de uma doença respiratória a bordo de um navio, será examinado no centro médico e estará sujeito a uma potencial quarentena e desembarque. Medidas adicionais de limpeza e desinfecção serão aplicados em todos os cruzeiros da companhia.

A companhia americana Carnival Cruise Line também se pronunciou quanto a medidas restritivas tomadas por conta do novo vírus. Todos os hóspedes ou tripulantes que estiveram na China, em Hong Kong, e em Macau 14 dias antes do embarque, terão a sua entrada no navio negada. Exames e questionários adicionais serão administrados antes do embarque, incluindo avaliações médicas, conforme necessidade. Além disso, um rigoroso regime de limpeza diária será adotado em todos os navios da frota. Os centros médicos a bordo dos navios da Carnival possuem equipes preparadas para lidar com diferentes situações médicas. Assim, é importante informá-los sobre qualquer sintoma de doenças respiratórias. Eles também ressaltam que passageiros usando máscaras a bordo, o fazem por conta própria. Vale lembrar que culturalmente, alguns viajantes usam máscaras como rotina. Membros da tripulação usando máscara, está diretamente relacionado à tarefa executada e é um equipamento autorizado de segurança.

MUDANÇAS NO ITINERÁRIO

Atualmente, mais e mais portos no mundo todo estão reforçando seus requisitos de entrada. Esses requisitos são, muitas vezes, definidos em cima da hora e podem resultar na proibição do atracamento de navios no porto, independentemente da companhia de cruzeiros. Infelizmente as companhias não podem influenciar ou contornar esses requisitos oficiais.

Por esse motivo, a Royal Caribbean, a MSC Cruzeiros e a Costa Cruzeiros cancelaram as próximas saídas da China devido ao surto do COVID-19.

A MSC Cruzeiros alterou o itinerário do cruzeiro Grand Voyage de 29 noites do navio MSC Bellissima, partindo de Dubai para o Sudeste Asiático. Para o cruzeiro de 21/03 a 19/04/2020, as escalas nos portos de Shenzhen, na China, Hong Kong e Keelung, em Taiwan, serão canceladas e substituídas pelos portos de Laem Chabang/ Bangcoc, na Tailândia e Phu My/ Cidade de Ho Chi Minh, no Vietnã. Além disso, um dia adicional em Kobe, Japão, está planejado. Em 18/04/2020, o MSC Bellissima chegará ao porto de Yokohama para desembarque.

A Norwegian Cruise Line comunicou que nenhum de seus navios está fazendo escala na China continental e que o recente fechamento do porto de Hong Kong resultará em modificações de itinerário. Esses serão compartilhados assim que forem revisados e informações adicionais forem disponibilizadas.

NOVAS SUSPEITAS DE CORONAVÍRUS A BORDO

O número de passageiros com suspeita confirmada do COVID-19 a bordo do navio Diamond Princess aumentou para 544. Os passageiros estão desde 04/02/2020 no porto de Yokohama em quarentena controlada pelo Ministério da Saúde japonês. Reino Unido, Canadá, Itália e Hong Kong estão enviando aviões fretados para buscar seus cidadãos a bordo do navio. Os Estados Unidos já repatriaram mais de 300 americanos a bordo, dos quais 14 testaram positivo para o vírus. Devido ao período prolongado de quarentena, a companhia cancelou novas viagens do Diamond Princess até 20/04/2020.

Um caso de COVID-19 foi confirmado entre os passageiros do navio Westerdam, que atracou no Camboja na sexta-feira passada, após ter sua entrada negada em portos do Japão, Taiwan, Filipinas, Guam e Tailândia. Uma americana foi testada positiva em sua viagem pela Malásia. Os primeiros hóspedes já foram autorizados a deixar o navio e voltar para casa. No momento, especialistas estão realizando testes do vírus nos cerca de 2.300 passageiros e tripulantes a bordo. O navio de cruzeiro permanecerá no porto por vários dias.

 

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O CORONAVÍRUS

Desde 08/12/2019, os casos de doenças respiratórias causadas pelo novo coronavírus (2019-nCoV) aumentaram em Wuhan, capital da província Hubei, na China central. Aqui você encontrará respostas para as perguntas mais importantes.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Após um período de incubação de 2 a 14 dias, tosse, febre, calafrios e dificuldade para respirar podem aparecer. Os sintomas são semelhantes aos da gripe. Certos coronavírus podem causar infecções graves do trato respiratório e levar a pneumonia.

O NOVO CORONAVÍRUS PODE SER TRANSMITIDO ENTRE PESSOAS?

Até o momento sabe-se que o novo coronavírus pode ser transmitido de pessoa para pessoa. No entanto, não há informações sobre como exatamente ele é transmitido.

COMO POSSO ME PROTEGER DA INFECÇÃO?

Como acontece em qualquer surto de gripe, você deve garantir a boa higiene das mãos, principalmente antes de consumir alimentos, cobrir nariz e boca ao espirrar e evitar tocar as mucosas dos olhos, nariz e boca. Além disso, objetos de uso pessoal como copos, pratos e talheres não devem ser compartilhados. Ventilar os ambientes e evitar contato com pessoas que apresentem os sintomas também são aconselháveis. Um protetor bucal e spray desinfetante também oferecem alguma proteção.

EXISTE ALGUMA RESTRIÇÃO INTERNACIONAL?

Com o aumento do nível de alerta pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para alto em relação ao risco global do novo coronavírus, o Ministério da Saúde orientou a partir do dia 28/01/2020 que viagens para a China devem ser realizadas apenas em casos de extrema necessidade. De acordo com o relatório publicado hoje pela OMS, 19 países já confirmaram mais de 7000 casos do coronavírus.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou que até o momento foram registrados 9 casos suspeitos de coronavírus em 6 estados brasileiros, porém nenhum deles se enquadram nas especificações da OMS. Dessa forma, por ora não há transmissão ativa do vírus no Brasil.

O QUE FAZER SE EU APRESENTAR OS SINTOMAS?

Aos que estiveram na China e manifestarem os sintomas do coronavírus, procurarem imediatamente um Hospital de Referência estadual para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde e instituídas medidas de precaução domiciliar.

ONDE POSSO ENCONTRAR MAIS INFORMAÇÕES?

Atualizações das áreas com transmissão local serão divulgadas diariamente pelo Ministério da Saúde AQUI.

Mais informações sobre o novo coronavírus podem ser encontradas nos seguintes sites:



Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *