Sustentabilidade em alto-mar: navios que promovem ações ecologicamente conscientes

Atualmente, termos como ¨sustentabilidade¨, ¨conscientização¨ e ¨eficiência¨ se tornaram palavras-chave que vêm a nossa mente quando o assunto é meio ambiente. As exigências para que a sociedade tome ações mais sustentáveis estão aumentando, e por conta da constante discussão do tópico, essas palavras acabam tomando significados mais abrangentes. Mas o que sustentabilidade realmente significaOu ainda melhorqual o seu significado para a indústria de cruzeiros?  

Foi com essas perguntas que a Dreamlines explorou assuntos atuais que estão sensibilizando o mundo dos cruzeiros a mudar para melhor, em prol de viagens mais conscientes e turismo mais sustentável. 

Cruzeiros sustentáveis  

O assunto chegou na indústria de cruzeiros com novos padrões e diretrizes definindo os próximos passos para a redução das emissões de carbono. Muitas companhias de cruzeiros, como a Royal Caribbean, MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros já reconhecem a necessidade de otimizar seus navios para reduzir as emissões, e as instituições reguladoras, por sua vez, estão constantemente enrijecendo as normas em alto-mar. 

A Organização Marítima Internacional (IMO) introduziu novos regulamentos que exigem a troca de combustíveis com alto teor de enxofre por combustíveis alternativos mais caros e com menos enxofreAnteriormente, o limite de emissão de dióxido de enxofre para navios era de 3,5%, passando a ser 0,5% a partir de 1 de janeiro de 2020. Segundo um relatório de 2019 da Cruise Lines International Association (CLIA), mudanças já estão sendo feitas, e 22 bilhões de dólares já foram investidos em navios que usam combustíveis mais limpos e que possuem tecnologias novas e mais eficientes.  

Mesmo tomando as medidas necessárias, as companhias de cruzeiro precisam constantemente neutralizar imprensa negativa, pois são percebidas pela mídia como grandes poluidores. Na opinião das companhias, a solução para o problema ambiental não está em parar ou limitar viagens de cruzeiros, e sim em achar alternativas que garantam viagens mais sustentáveis, ou até mesmo cruzeiros livres da emissão de carbono. Muitas companhias, incluindo as anteriormente mencionadas, identificaram a necessidade de ingressar neste movimento e já começaram as mudanças, uma vez que um planeta saudável contribui para negócios mais sustentáveis.

E com tantas transformações a favor desse desenvolvimento, o time da Dreamlines investigou a fundo as medidas, políticas e tecnologias mais impactantes que estão sendo adotadas no cenário de cruzeiros sustentáveis. 

Acordos e tecnologia

Como já dizia o ditado, conhecimento é poder. Por isso, as companhias de cruzeiro estão investindo massivamente em pesquisas para achar a maneira mais sustentável e ecologicamente consciente de se navegar os mares. Com estas pesquisas, tecnologias foram testadas a bordo e avanços foram feitos. Talvez você não seja capaz de ver estas tecnologias enquanto está viajando em um cruzeiro, mas é reconfortante saber que elas estão ali, fazendo o seu trabalhoConfira abaixo as principais inovações no mundo dos cruzeiros.

GNL (Gás Natural Liquefeito)

O que? GNL é o gás natural convertido em sua forma líquida, para simplificar seu transporte e sua estocagem.

Considerado o combustível fóssil mais limpo, o GNL assegura que os navios não emitam partículas, poeira ou fuligem. Segundo a CLIA, é esperado que as emissões de enxofre deste combustível diminuam em mais de 99% e as emissões de óxido de nitrogênio em mais de 85% em comparação aos combustíveis convencionais.
Onde? A empresa italiana Costa Cruiseios lançou o navio Costa Smeralda, totalmente movido a gás natural liquefeito, e pretende adotar a alternativa mais ¨limpa¨ em 100% dos seus futuros navios.

A MSC está preparada para lançar alguns de seus futuros navios da World Class totalmente movidos a GNL, e a Princess Cruises também tem dois navios movidos a GNL projetados para 2023 e 2025.

EGCS (Sistemas Híbridos de Limpeza de Gases de Escape)
O que? Também conhecidos como ¨purificadores¨, os ECGS foram desenvolvidos para eliminar 99% do enxofre e mais de 50% de partículas das emissões dos navios. Esta tecnologia é considerada um importante investimento para companhias de cruzeiro, uma vez que seus navios precisam cumprir com os limites de enxofre estabelecidos pela (IMO).
Onde? A MSC já tem seu navio MSC Grandiosa equipado com ECGS, e tem como objetivo garantir que todos os seus navios tenham a mesma tecnologia até o final de 2023, incluindo o MSC Fantasia e o MSC Preziosa.



A Norwegian, desde 2016 já implementou esta tecnologia em 5 de seus navios, incluindo o Norwegian Sun e o Norwegian Jade.

Revestimento a Ar para Cascos de Navios
O que? Segundo um relatório de 2017 da Norwegian Cruise Line, cerca de 50% do total de energia utilizada em um navio é destinado à sua propulsão. Sistemas de lubrificação de casco a ar cobrem o fundo do navio com bolhas de ar que reduzem a fricção do navio com a água enquanto ele se move, reduzindo a quantidade de combustível necessária para impulsioná-lo.

Também existem pinturas que podem ser aplicadas aos cascos, que criam um revestimento que impede o crescimento de crustáceos, algas e organismos marinhos, para que a eficiência hidrodinâmica aumente. O revestimento ainda impede que os navios transportem consigo espécies que podem ser invasivas e prejudiciais a outros ambientes.
Onde? De acordo com a MSC, o revestimento de casco ecológico é usado em seus navios. Em um relatório da Norwegian, a companhia alega que o revestimento é utilizado em 92% de seus navios.

Graças ao casco revestido pelo material ecológico, o MSC Grandiosa, lançado em 2019, consome 28% menos combustível em comparação aos seus navios da classe Fantasia. A companhia atesta que isso equivale a aproximadamente 255 kg de carbono a menos por pessoa, por cruzeiro.
ECAs (Áreas de Controle de Emissão)
O que? ECAs são áreas onde as águas são mais sensíveis, e os níveis de emissão não devem ultrapassar o nível estipulado pela Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição Causada por Navios (MARPOL). Isso faz com que os investimentos em tecnologias que reduzem os níveis de emissões sejam mais importantes para as companhias, que só podem navegar nestas áreas se seus navios conseguem cumprir com as normas estipuladas.
Onde? Exemplos de ECAs são águas que cercam a Antártica, a Amárica do Norte, o Golfo do México, Kamchatka, e o Ártico.

Embarcações Movidas à Hidrogênio
O que?A tecnologia de células de combustível a hidrogênio é considerada o futuro dos cruzeiros, uma vez que o processo emite apenas água. O processo gera energia livre de emissões através de reações eletroquímicas entre hidrogênio e oxigênio.

Esta tecnologia também promete reduzir drasticamente a poluição sonora gerada pelos navios, em comparação com os sistemas tradicionais movidos a diesel marinho ou outros combustíveis fósseis.
Onde?A Royal Caribbean pretende implementar esta tecnologia em seus novos lançamentos da classe de navios Icon, a partir de 2022. A MSC também está planejando implementar esta nova tecnologia no futuro.

Políticas a bordo 

Mas não são apenas as tecnologias e inovações que fazem a diferença. Políticas a bordo adotadas por companhias de cruzeiro são extremamente relevantes para viagens mais conscientes, uma vez que estas encorajam os passageiros a serem mais sustentáveis. Ao contrário das tecnologias que acabamos de discutir, estas políticas são medidas que podem ser presenciadas pelos próprios viajantes a bordo, assim como você. Quem sabe você pode pegar umas dicas que preparamos e ajudar no progresso pelo meio ambiente.  

Eficiência 

Eficiência é um tema importante quando se trata de cruzeiros sustentáveis. Companhias como a Royal Caribbeana Norwegian Cruise Line e a Princess Cruises, utilizam luzes fluorescentes ou luzes econômicas de LED em seus navios. A Royal Caribbean foi além, e instalou luzes nas cabines que só são ativadas com cartão, e ares-condicionados que desligam automaticamente caso as portas da varanda estejam abertas. A diferença é impactante. Norwegian, por exemplo, diminuiu o consumo de energia dos navios Norwegian Jewel e Norwegian Star em 70% após a instalação deste tipo de iluminação. 

Algumas companhias de cruzeiro ressaltam a importância de economizar água, e já tem equipamentos com essa função instalados nas cozinhas, banheiros e lavanderias de seus navios. Além disso, companhias como a Princess incentivam seus hóspedes a reutilizarem toalhas e lençóis, fechar as torneiras, e relatar qualquer vazamento das mesmas. 

Aprendizes e especialistas a bordo 

Muitas companhias incentivam seus hóspedes a se envolverem em tópicos importantes, como a proteção ambiental, por exemplo. A Oceania Cruise Line organiza aulas a bordo sobre a vida marinha e o meio ambiente, e a Norwegian emprega especialistas em preservação do meio-ambiente em cada um de seus navios, para que seus hóspedes possam aprender sobre poluição e conservação das águasAlém disso, a tripulação da Norwegian também precisa passar por um treinamento de ¨familiarização ambiental¨ para assegurar que eles cumpram com as políticas ambientais e ainda sejam capazes de responder qualquer dúvida que os viajantes possam ter sobre o assunto 

Celebrity Cruises foi além, e possui um navio inteiramente dedicado a uma experiência responsável com o meio ambiente. O Celebrity Flora não só neutraliza suas emissões, mas também ajuda a preservar seus destinos de viagem. Inteiramente desenvolvido para seguir as rígidas regras de visitação das Ilhas Galápagos, o navio tem o passeio perfeito para os amantes do ecoturismo. O cruzeiro dispõem de naturalistas nativos a bordo, prontos para compartilhar todo o seu conhecimento, e durante o passeio, ações são feitas que ajudam a preservar a natureza e a economia local.

Seaborn é outro exemplo e promove o turismo sustentável a bordo de seus navios em parceria com a UNESCO. Essa iniciativa fornece aulas educacionais dadas por especialistas a seus hóspedes, e toda a renda coletada com as aulas é doada para o fundo da World Heritage da UNESCO. 

Plásticos descartáveis 

Companhias como a Royal Caribbean, MSC, Cunard, Oceania Cruises e a Regent of Seven Seas escolheram eliminar ou reduzir o uso de plásticos descartáveis em seus navios. Isso significa que seus hóspedes irão se deparar com utensílios de metal e reservatórios de vidro, ao invés das alternativas convencionais feitas de plástico. Canudos de plástico também foram banidos de muitos navios. A Royal Caribbean promete banir todos os plásticos descartáveis de seus navios no futuro e a Regent of the Seas se tornou a primeira companhia de luxo a eliminar o uso de todos os plásticos descartáveis a bordo de seus navios. Além disso, a Norwegian implementou a campanha ¨Skip the Straw¨, que visa eliminar o uso de canudos descartáveis de toda a sua frota e também em duas de suas ilhas particulares. A companhia alega que já evitou o uso de mais de 50 milhões de canudos descartáveis. 

Tem mais por vir 

Mesmo que o assunto de cruzeiros sustentáveis esteja em alta e se desenvolvendo rapidamente, ainda é difícil dizer quais inovações e políticas podemos esperar para o futuro. De qualquer maneira, novas tecnologias e regulamentações mais rigorosas estão trazendo resultados tangíveis e provando que existem maneiras mais sustentáveis de visitar o mundo e seus oceanos. E ainda tem muito por vir. A CLIA anunciou seu plano de redução das emissões de carbono para indústria de cruzeiros e pretende diminuir 40% da emissão de carbono até 2030. Isso só prova que muitas mudanças e melhorias estão por vir no mundo dos cruzeiros e tudo para que você tenha uma experiência mais conectada com a natureza. 

Quer partir em um cruzeiro em algum dos navios mencionados neste artigo? Visite nossa página de cruzeiros para mais informações.

Texto e informações por: Alexandre Lazaron



Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *